Uberabense é o 6º tenista brasileiro a conquistar o título do pan-americano

tênis

Tenista de 22 anos supera Tomas Barrios por 2 a 1 e iguala Meligeni (2003) e Saretta (2007) derrotando rivais chilenos na decisão para ser campeão continental

De acordo com o Globo Esporte, aos 22 anos, o uberabense João Menezes é campeão pan-americano no tênis. O brasileiro bateu o chileno Tomás Barrios por 2 sets a 1, parciais de 7/5, 3/6 e 6/4, em Lima, e manteve uma tradição: se a final no tênis é contra o Chile, o ouro é do Brasil. Foi assim em Santo Domingo 2003, quando Fernando Meligeni venceu o ex-número 1 do mundo Marcelo Rios. Quatro anos depois, no Rio, foi a vez de Flávio Saretta ser campeão contra o também chileno Adrián Garcia. Com o título deste domingo, João Menezes torna-se o sexto tenista brasileiro a ganhar o ouro no torneio de simples do Pan. Além dele, de Meligeni e Saretta, também foram campeões Fernando Roese (1987), Thomaz Koch (1967) e Ronald Barnes (1963). O Chile não conquista este ouro há 60 anos, desde o Pan de 1959, em Chicago.

Mineiro de Uberaba, Menezes vive o melhor momento da carreira, mas quase desistiu do tênis no final de 2017. Ele estava deprimido porque havia sofrido três cirurgias no joelho esquerdo (2014, 2015 e 2016) e depois teve uma lesão na coluna.

João havia abandonado os treinos em Itajaí, quando o seu pai ligou para Rafael Kuerten, irmão de Guga, pedindo uma ajuda. Ele disse para o tenista que o técnico de Bruno Soares estava levando alguns tenistas para a Espanha e sugeriu que João Menezes fosse pra lá.

Ele foi e os resultados começaram a aparecer. No ano passado, entrevistei o tenista para o site Tênis Brasil, depois que ele havia feito três finais seguidas em torneios ITF, tendo conquistado dois títulos. “Agora ou vai ou racha. Vou começar a disputar torneios challengers, porque quem não arrisca, não petisca”, disse na época.

João Menezes continuou subindo e nessa semana já apareceu como o segundo melhor do país no ranking da ATP. A boa campanha no Pan deve trazer ainda mais confiança para o mineiro, que é hoje uma das maiores esperanças do tênis brasileiro.

Fonte: Globo Esporte/Portal Terra