Fedrigo: 130 anos no Brasil

Família Fedrigo

* Texto de Paulo Ricardo Santana.

Com a abolição da escravatura a ser assinada em maio de 1888 pela Princesa Isabel, o Brasil estava já afoito por mão-de-obra disposta e talvez submissa e aguardava jocoso pelas levas de imigrantes europeus dispostos à rude lide.

A história deste ramo da família Fedrigo é um tanto nebuloso, mas que nos desperta orgulho e honra por sermos descendentes de humildes agricultores europeus corajosos a ponto de cruzar o Atlântico em um navio com condições higiênico-sanitárias precárias e pisar em solo brasileiro e lutar pela vida.

Não se sabe ao certo, o motivo que levou o casal Luigi e Luigia Fedrigo juntamente com sua filha Anna, a não embarcarem no vapor Buenos Ayres no Porto de Gênova e chegado em 23/01/1888 em Santos. No livro de matrículas do Memorial do Imigrante em São Paulo, consta o registro de desistência de embarque desse trio familiar com a observação “sbarcati”, ou seja, não embarcados. Ao que subentende, este casal, aguardou os demais familiares para juntos partirem às distante e promissoras terras do Brasil, fugindo do delicado momento econômico-social pelo qual a Itália passava.

A bordo do Navio Poitou, juntos à pequena Anna Fedrigo e seus pais, vieram mais 11 pessoas, sendo eles: Federico 35 anos, Giovanni 31 anos, Elisabetta 01 ano, Silvio 03 anos, Regina Tardivo 33 anos, Stella 02 anos, Giovanni 03 anos, Augusta 06 anos, Rosa Tappan 27 anos, Enrico 01 ano e Carolina 05 anos.

1

Imagem 1: Navio Poitou

Fonte: http://gliantenati.blogspot.com.br/2010/05/familia-passoni-e-as-desventuras-no.html

Dentre todos os familiares reunidos no vapor cruzando o mar, casais, irmãos, cunhados, e primos, destaca-se o casal Federico Fedrigo e Rosa Toppan e seus dois filhos nascidos na Itália, Augusta e Giovanni (João no Brasil) ainda pequenos. Todo o grupo desembarcou em Santos numa segunda-feira, em 20/02/1888 depois de uma longa viagem.

2

Imagem 2: Livro de matrículas dos Imigrantes entrados no alojamento provincial de imigração em São Paulo

Fonte: http://www.inci.org.br/acervodigital/upload/livros/pdfs/L008_246.pdf

Não se sabe ao certo, mas Federico e Rosa tinham mais uma criança, a qual adoeceu em decorrência das terríveis condições de bordo. Segundo relatos, essa criança teria adoecido durante a viagem, contudo Rosa sua prestimosa mãe, teria cautelosamente cuidado da criança para que a mesma não fosse jogada ao mar. A criança viria a falecer já no Brasil.

Depois de alguns dias de hospedagem na Capital de São Paulo, partiram para o trabalho no interior, para as cidades de Cravinhos e Descalvado onde mais tarde, vieram a nascer seus outros filhos, Antonio, Justo, José (Bepe), Santo e Luiz; em seguida partiram para Minas Gerais, para a férteis e atrativas terras de Capim Branco atual Guaxima, no qual adquiriram pequena propriedade e passaram a cultivar café. Já neste local o casal Frederico e Rosa concebeu mais um filho, Marco no ano de 1902.

3

Imagem 3: Fachada do antigo prédio onde funcionou a Societá Fratellanza Italiana em Descalvado – SP

Fonte:http://www.memoriasdedescalvado.com.br/Categoria.aspx?qCateg=Nossas_edifica%C3%A7%C3%B5es

Guaxima era na época um importante polo produtor de café, arroz e outros cereais. Era ainda favorecida pela linha de Ferro da Cia Mogiana; era ponto de parada de viajantes que saiam de Minas Gerais rumo ao Brasil Central.

As terras da então Capim Branco (Atual Guaxima) juntamente com suas adjacências (Conquista e Jubaí – antiga São Francisco de Ponte Alta) eram povoadas por inúmeras famílias de imigrantes de diversas origens, tais como italianos, japoneses espanhóis, portugueses, alemães, sírio-libaneses. Segundo o Censo Demográfico de 1920, o munícipio abrigava cerca de 2500 imigrantes, nos quais 1250 eram italianos.

4

Imagem 4: Facha externa da antiga estação de trem de Guaxima – MG

Fonte: Arquivo pessoal

No lugarejo o casal permaneceu até o fim. Federico faleceu em 23-06-1924 e Rosa em 1941, porém sua descendência é vasta e se espalha por diversos Estados brasileiros. Sua maior concentração está em Minas Gerais nas cidades de Conquista, Uberaba, Uberlândia, Ponte Alta, Sacramento, em São Paulo nas cidades de Franca e Tupã, no Paraná na cidade de Itambé, em Goiás nas cidades de São Francisco de Goiás, Inhumas, Goiânia dentre vários outros Estados e cidades.

Falar sobre nossas raízes é pensar um pouco sobre quem somos, de onde viemos. É ter motivação para caminhar com firmeza é se inspirar nos nossos antepassados que criaram nossa realidade atual através de um sonho. Sonho esse que corre ainda em nossas veias através das memórias, das histórias, da culinária, do calor humano da fala alta e gesticulosa que sem querer acompanha até a última geração do italiano.

Da numerosa familia Fedrigo, temos algumas fotografias.

5

Imagem 5: Paulo Ricardo Santana – Autor do texto, filho de José Carlos Santana e Ana Claudia Gomes Ferreira Santana, neto de Natalina Fedrigo, bisneto de Lazaro Fedrigo, tataraneto de Antonio Fedrigo e tetraneto de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

6

Imagem 6: Lazaro Fedrigo (1916-2012), filho de Antonio Fedrigo e Rosa Rosato, neto de Federico e Rosa Tappan – Bisavô e inspirador do Autor

Fonte: Arquivo pessoal

7

Imagem 7: Casal Paulo Fedrigo e Maria – Paulo era neto de Federico e Rosa Tappan, filho de Luis Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

8

Imagem 8: Da direita para esquerda as irmãs Jacira Fedrigo Manzan e Aparecida Fedrigo, filhas de Luiz Fedrigo e Arlete Fedrigo filha de Paulo e Maria

Fonte: Arquivo pessoal

9

Imagem 9: Augusta Fedrigo, filha do casal Federico e Rosa Tappan. Chegou ao Brasil com 6 anos de idade.

Fonte: Arquivo pessoal

10

Imagem 10: Carmela Fedrigo, filha do casal Justo Fedrigo e Paschoa

Fonte: Arquivo pessoal

11

Imagem 11: Elizabeth Fedrigo, filha do casal Lazaro Fedrigo e Maria Marcelino, neta de Antonio Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

12

Imagem 12: Da direita para esquerda, Ana Bagliane Arduini, filha de Augusta Fedrigo, neta de Federico e Rosa Tappan e sua filha Almerinda Arduini

Fonte: Arquivo pessoal

13

Imagem 13: Luiz Fedrigo, filho de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

14

Imagem 14: Da direita para esquerda, Jacira Fedrigo Manzan e Sandra Manzam Carvalho sua filha

Fonte: Arquivo pessoal

15

Imagem 15: Da direita para esquerda, Paulo, Aparecida, Lourdes, Jacira e Benedito Fedrigo, filhos de Luiz Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

16

Imagem 16: Filhos de Pedro Fedrigo e Tereza Piantella. Bisnetos de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

17

Imagem 17: Netos de Jose Fedrigo Filho, bisnetos de Jose Fedrigo (Bepe), filhos de Victor Amauri Fedrigo e Nayana Karla Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

18

Imagem 18: João Fedrigo, fiho de Antonio Fedrigo, neto de Federico e Rosa Rorato

Fonte: Arquivo pessoal

19

Imagem 19: Maria Marcelino, esposa de Lazaro Fedrigo e o filho Marcos Antonio Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

20

Imagem 20: Vera Lucia Fedrigo filha de Lazaro Fedrigo e Jose Carlos Santana filho de Natalina Fedrigo e Euripedes de Santana

Fonte: Arquivo pessoal

21

Imagem 21: Casal Pedro Fedrigo e Tereza Pintella. A dama de honras Ana Natalina Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

22

Imagem 22: Jose Fedrigo, filho de Santo Fedrigo e Tereza Tizzo, neto de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

23

Imagem 23: Zulmira Fedrigo, esposa de Marco Fedrigo filho de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

24

Imagem 24: Casal Jácomo Fedrigo e Maria (Jácomo filho de Antonio Fedrigo e Rosa Rorato)

Fonte: Arquivo pessoal

25

Imagem 25: Casal João Fedrigo (Joanim) e Nenzina (João filho de Antonio Fedrigo e Rosa Rorato)

Fonte: Arquivo pessoal

25a

Imagem 25: Justo Fedrigo, filho de Federico e Rosa Tappan

Fonte: Arquivo pessoal

26

Imagem 26: Sebastião Fedrigo, filho de Antonio Fedrigo e Rosa Rorato

Fonte: Arquivo pessoal

27

Imagem 27: Casal Victor Amauri Fedrigo e Nayana Karla Fedrigo. Victor é filho de Eleuza Terezinha Fedrigo, neto de Jose Fedrigo Filho

Fonte: Arquivo pessoal

28

Imagem 28: Casal Jose Fedrigo Filho e Ana Zanquetta, junto ao neto Victor Amauri Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

29

Imagem 29: Familiares de Mário Fedrigo (Nena). Esposa Sra. Bernadete, filha Lucilene e neta. Mário era filho de Jose Fedrigo.

Fonte: Arquivo pessoal

30

Imagem 30: As irmãs gemeas Thalía e Thálita Aparecida Santana, filhas de Jose Carlos  e Ana Claudia Gomes Ferreira Santana, netas de Natalina Fedrigo

Fonte: Arquivo pessoal

31

Imagem 31: Paulo Ricardo Santana (autor do texto) e sua mãe Ana Cláudia Gomes Ferreira

Fonte: Arquivo pessoal

32

Imagem 32: Ao centro, Maria de Lourdes Fedrigo, filha de Lazaro Fedrigo e Maria Marcelino, acompanhada da sobrinha neta Thalia e da saudosa amiga e conterranea guaximense Ana (Ana do Lentíco)

Fonte: Arquivo pessoal

Salve a Itália! Salve o Brasil!

Fedrigo, 130 anos sendo com orgulho ítalo-brasileiros.