Presidente da ENGIE anuncia projetos sociais e garante mais empregos e qualidade na UHE de Jaguara

Usina de Jaguara

presidente

Grupo ENGIE realiza apresentação oficial e visita dentro da usina com autoridades e imprensa

O presidente do grupo ENGIE Energia Brasil, Eduardo Sattamini (foto acima), esteve em Sacramento (MG) nesta terça-feira (23), para apresentar oficialmente à imprensa e autoridades da região, a nova gestão da Usina Hidrelétrica de Jaguara. Arrematada no ano passado através de leilão - por R$ 2,1 bilhões, o grupo francês, assumiu desde o dia 29 de dezembro último, a operação e manutenção total da usina. O mesmo aconteceu com a Usina de Miranda, que até setembro de 2017, ambas pertenciam à Cemig.

De acordo com o presidente, continua a Cemig atuando na distribuição, enquanto a ENGIE fica com a geração de energia. A empresa - maior produtora privada de energia elétrica no Brasil, atualmente conta com aproximadamente 2500 colaboradores. Ela vende energia para a distribuidora e, essa realiza a cobrança através da conta entregue ao consumidor. “De certa forma, a Cemig continuará presente na vida de todos. Não muda nada para o consumidor, a não ser que ele pagará uma tarifa mais barata, isso em função da modalidade do leilão”, afirmou.

Durante seu discurso, Sattamini reconheceu que o investimento veio na hora certa: “É um dia de muita felicidade para nós, somos os maiores produtores de energia do mundo, o maior produtor de energia privada no Brasil; tínhamos uma presença muito tímida na região Sudeste, agora com estas duas concessões das usinas de Jaguara e Miranda, mudamos este cenário, entrando de forma contundente e significativa”.

Segundo ele, o grupo também investe em projetos sociais, por ter este “DNA” de inserir de forma harmoniosa nos municípios: “procuramos ter esta relação onde direcionamos recursos sociais, que possam melhorar a qualidade de vida, os índices de desenvolvimento humano e isso tem ocorrido com bastante frequência”.

Projetos Sociais

Com apenas dois meses de atuação, a empresa já desenvolveu dois projetos sociais, avaliados em torno de R$ 530 mil, sendo: investimentos para o Hospital de Câncer de Uberlândia (MG) e um projeto de talentos paraolímpicos.

Mesmo vendo com “bons olhos” que os hospitais regionais, que atendem os municípios de Sacramento (MG) e Rifaina (SP) onde está instalada a UHE de Jaguara, também merecem atenção, ele ressaltou que “é óbvio que precisamos [o grupo] identificar bons projetos para darem início a esta contrapartida”.

Já o projeto dos talentos paraolímpicos, a ENGIE dividirá em cinco polos, atendendo as duas cidades e outras três (que não foram divulgadas), sendo cada uma delas com 20 crianças e adultos nesta primeira etapa, através de parceria com as APAEs.

“Esta é uma demonstração que começamos já com parceria. É uma empresa séria, conhecida no país pelos seus padrões e é isso que queremos trazer pra cá: a nossa parceria e competência para continuar gerando riqueza para esta região”, destacou.

Sobre os royalties – Sattamini reforçou que o pagamento dos royalties para os municípios, é feito para a empresa, cujo órgão centralizador – a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), vincula o recurso e repassa o benefício. “Então não muda nada, na verdade vamos continuar pagando em dia, mas vai depender da Aneel para fazer o repasse”, pontua.

Empregos – em entrevista coletiva, o presidente anunciou ainda que um processo de contratação para 30 vagas com mão-de-obra local está previsto para os próximos meses. Segundo ele, vários funcionários, principalmente aqueles em fase de aposentaria, preferiram continuar trabalhando para a Cemig, outros acataram a proposta de continuidade no novo grupo.

Investimentos – há um plano de negócios visando modernizações em equipamentos, mesmo considerando que a construção e funcionamento da usina hidrelétrica é “para uma vida toda”; ela passará por um programa de investimento e manutenção natural pelo fato da concessão ser para os próximos 30 anos.

Presenças – participaram da reunião além da imprensa da região, os prefeitos de Sacramento, Rifaina e Igarapava, vereadores, dentre outros. O diretor de geração da ENGIE, José Laydner também marcou presença.

* Redação/Daniel Afonso