Sacramento se despede de Nizinha

Nizinha

E o dia 1º de fevereiro de 2019 (sexta-feira) foi marcado pelo desencarne de Neoni Cunha (Nizinha). Muito querida e reconhecida por seu trabalho na Doutrina Espírita, ela nasceu em Sacramento (MG), em 24 de janeiro de 1927. Ela tinha 92 anos.

Segundo informações, ela participou do tradicional culto das 9h na Chácara Triângulo [onde residia], neste mesmo dia, e logo em seguida, sentiu-se mal e foi levada para a Santa Casa, onde foi submetida aos exames médicos e sofreu uma parada cardiorrespiratória, falecendo por volta das 16h.

Filha do Major Ataliba José da Cunha e Eurydice Miltan da Cunha (Sinhazinha), Nizinha como era carinhosamente conhecida, formou-se como professora na Escola Normal de Sacramento. Exerceu como voluntária o cargo de diretora do Colégio Allan Kardec desde sua fundação até o ano de 1963.

Foi tesoureira do ‘Quartinho Eurípedes Barsanulfo’ e da Casa Assistencial Meimei, cargos que exerceu com muito amor e dedicação por mais de 50 anos.

Durante seu velório que ocorreu durante a madrugada e esta manhã de sábado (2), a família, diversos amigos e conhecidos prestaram sua última homenagem, dentre eles, Alzira Bessa França Amui, Carlos Alberto Pogetti (Franca/SP), Maria Luiza Bozo (Lençóis Paulista), Manoel (Hermano – de Conquista/MG), Ismael (SP) e outros.

Ainda hoje, o culto foi realizado normalmente às 9h; poucos minutos antes de seu corpo ser levado para o Cemitério Municipal, por volta de 11h15, o Mini Coral Sol apresentou algumas canções: “Espiritismo”, “Ave Maria”, “Gratidão”, “Ser Espírito” e “Folha de Malva”.

1
Na foto, Nizinha com a irmã Heigorina e o médium Chico Xavier - doutrinadores do espiritismo no Triângulo Mineiro e país afora

Espiritismo na família – Nizinha era filha de Sinhazinha - que foi irmã do grande vulto do Espiritismo, Eurípedes Barsanulfo. Era irmã de Heigorina (falecida em 2013) e Ionete.

Os cultos do Evangelho na família começaram com Eurípedes em 1904, na Fazenda Santa Maria. Com o desencarne de sua mãe, Dona Meca, em 1962, a mãe de Nizinha, Sinhazinha juntamente com seu marido Major Ataliba, estiveram ao lado de Eurípedes nos trabalhos e assumiram o culto, passando a realizar na Chácara Triângulo, onde ocorre até hoje.

Com o desencarne de Sinhazinha em 1961, o culto continuou sendo realizado nesta chácara, sob responsabilidade de Ataliba, até 1971, quando se deu o seu desencarne.

Desta data em diante ele ficou sob responsabilidade de Heigorina, Nizinha e Ionete. Com o retorno à pátria espiritual de Heigorina, em 11/08/2013, Nizinha assumiu a direção do Culto.