Atleta que começou treinando em Sacramento é campeão sul-americano no Jiu-Jitsu

Jiu-Jitsu

Não nasceu em Sacramento (MG), mas considera como a sua “cidade do coração”. Foi na cidade do interior do Alto Paranaíba, que Matheus Spirandeli Souza (foto abaixo), 24 anos, começou seus treinos no jiu-jitsu. Em entrevista inédita ao TOPUAI, o paulistano contou um pouco de sua trajetória no esporte e do recente campeonato sul-americano em que conquistou o seu maior título na modalidade.

matheus

O INÍCIO

O atleta conta que iniciou os treinos em Sacramento com o professor Wesley e depois com o Andrews Cleto, vulgo "Nino", com quem permaneceu mais tempo. “No começo eram às segundas, quartas e sextas, na parte da noite. Sempre muito puxado e desde o primeiro treino já fiquei ‘viciado’. Tenho muito que agradecer a esses dois, me ensinaram a arte que fez eu ver a vida de outra forma, com muito mais propósito e maturidade. Sou grato demais”, revelou.

A ROTINA

Matheus não pratica outro esporte, mas tem preparação física diariamente. Atualmente, morando em São Paulo (SP), sua rotina começa às 7h com a preparação física e depois o treino de jiu-jitsu que começa 11h30 e termina por volta das 14h.  Além disso, ele treina seus alunos no período noturno. Ele é formado na faixa preta.

O MAIOR TÍTULO

Segundo o atleta, o Campeonato Sul-Americano, realizado no último final de semana, no ginásio José Correa, em Barueri (SP), foi seu maior título pela International Brazilian Jiu-Jitsu Federation (IBJJF). Matheus foi campeão na categoria faixa preta, adulto, masculino e meio-pesado ao vencer três lutas.

“Fiz três lutas, ganhando a primeira nos pontos 7x2, a segunda por finalização com uma chave de braço Arm-Lock, e a final nos pontos por vantagem. Esse foi um dos campeonatos que consegui soltar mais meu jogo, lutar para frente, mesmo com atletas duríssimos que fez cada luta ser uma guerra. Confesso que estava muito bem preparado, devido ao tanto de treino forte com meu professor Leandro Lô corrigindo e acreditando em mim, ao meu preparador Rodolfo Castelo, que deixou meu condicionamento em ótimo estado, minha nutricionista Camilla Cardoso por ter me deixado no peso certo. Só tenho a agradecer, sozinho não conseguiria essa vitória, que são de todos”, destacou.

OUTROS CAMPEONATOS

O sucesso da fera no jiu-jitsu foi convencido logo que adotou este esporte como sua maior paixão.  Em seu primeiro mês lutando, ele já participou de um campeonato. “No primeiro mês de jiu-jitsu competi, sempre gostei de me testar...”, brinca.

Em outras faixas, ele já sagrou-se Campeão Brasileiro, Campeão Paulista, Vice-Campeão Mundial da UAEJJ e terceiro lugar no campeonato europeu. E não para por aí. Na principal faixa, a preta, vem mais títulos conquistados: o Grand Slam de Abu Dhabi - etapa Rio de Janeiro (RJ), 1º lugar no Rio Open e 3º lugar no Campeonato Europeu.

SACRAMENTO

Matheus nasceu em 28/09/1993 em São Paulo (capital), mas a família por parte de mãe é toda da cidade de Sacramento. Filho de Antônio Santos Souza e Mafalda Spirandeli, ele contou um pouco de sua infância e vivência por aqui, onde tudo começou, principalmente seus treinos de jiu-jitsu e amizades.

“Apesar de amar toda a cidade, eu nasci em São Paulo. Fui para Sacramento pela primeira vez com 6 anos, estudei um ano e voltei para a capital. Com 13 anos retornei novamente para cidade mineira e fiquei até meus 16 anos. Devido eu gostar tanto da cidade e meus amigos desta época, serem todos daí, antigamente visitava mais, hoje com a correria faz muito tempo que não vejo meus familiares”, completa.

MENSAGEM FINAL

Lutar e ter a certeza que vale a pena sonhar. Este é o lema que Matheus vestiu e encarou a vida e o esporte:

“É preciso dizer que o primeiro a acreditar no seu sonho tem que ser você mesmo, pois ninguém fará isso acontecer a não ser você. Corra atrás. Existirá inúmeras derrotas temporárias, mas seu desejo de conquista tem que ser muito maior que isso. Busque evoluir sempre, seja humilde, saiba que ninguém chega a lugar nenhum sozinho, faça acontecer. Valerá a pena, pode ter certeza!

Tenho só a agradecer tantas pessoas boas ao meu lado, agradecer a Deus que sem Ele, não chegaria a lugar algum, minha família que sempre aguentou minhas dificuldades que não são poucas para viver do esporte, minha equipe e meus patrocinadores, que sem esse suporte não conseguiria evoluir e buscar meus sonhos”.

Sucesso, guerreiro!

* Redação/Daniel Afonso