Dados importantes de suicídios em Sacramento e os atendimentos para pacientes que buscam apoio

setembro amarelo

Durante todo o mês, em todo país, é destacada a importância da campanha “Setembro Amarelo”, que visa à conscientização sobre a prevenção do suicídio. Em Sacramento, o assunto é discutido através da mobilização de empresas e também do setor público.

Com dados do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), em 2019, ocorreram dois suicídios em Sacramento. Já a violência contra a própria pessoa, ou tentativa de autoextermínio, os números são significativos, conforme divulgado pelo Setor de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, tendo como fonte o Sistema Nacional de Agravos de Notificação (SINAN). Veja: em 2017, foram 5 tentados; em 2018 – 14 e em 2019 o número cresceu para 29 até esta semana.

De acordo com a coordenadora do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial) Luiz Giani, Karla Fernanda Pereira, as situações de tentativas de autoextermínio chegam via notificação da Santa Casa. “Na maioria das vezes esses pacientes dão entrada no Pronto-Atendimento e depois que recebem alta do hospital, são encaminhados para cá, pelas situações consideradas graves. Eles são direcionados para esse serviço especializado. Infelizmente não são todos que procuram nossa unidade. Já ocorreram de situações recorrentes, de na quarta ou quinta tentativa, esse paciente nos procurar. Daí organizamos o atendimento com uma proposta de escuta qualificada onde temos uma escala de profissionais todos os dias da semana, em todos os turnos”, explica.

No caso de situações emergenciais, o paciente quando chega ao CAPS e não consegue atendimento médico, ele é encaminhado para o PSF ou para internação na Santa Casa, até que efetive a consulta com o psiquiatra. Os atendimentos com psiquiatras nesta unidade ocorrem às segundas e terças-feiras.

Sobre a campanha do Setembro Amarelo, a coordenadora explicou que não são realizadas atividades somente neste mês e sim durante o ano todo. Ressaltou inclusive que uma das ações é o projeto “sala de espera” em todos os PSF´s da cidade. O projeto consiste em fazer com que os psicólogos que atendem nestas unidades, de conversarem com os pacientes, orientá-los da importância da busca de ajuda profissionais e as recomendações necessárias.

Além disso, o paciente que está em situações de risco, pode procurar atendimento no Centro de Valorização da Vida (CVV) pelo telefone 188 ou pelo site https://www.cvv.org.br.  O CVV realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Finalizando, a coordenadora do CAPS colocou-se à disposição para ajudar todo tipo de paciente que necessitar do tratamento na saúde mental: “qualquer usuário do Sistema de Saúde que procurar o serviço com qualquer tipo de demanda, será acolhido, vai ser ouvido e a gente vai tentar desenvolver isso da melhor forma possível”.

Nota da Redação: recebemos diversas vezes vários questionamentos sobre o fato de não divulgarmos matérias que pontuam tentativas ou suicídios no portal TOPUAI. Existe uma forma de pacto profissional entre vários veículos da imprensa e jornalistas no Brasil que decidiram que suicídios não serão noticiados. Há quem divulga e entendemos que não precisamos expressar sobre isso. Alguns, às vezes de modo sensacionalista, outras de modo superficial, e poucas de maneira aprofundada. Talvez o suicídio seja colocado à margem da ação jornalística por ser um ato individual cujas motivações são bastante íntimas e particulares. Por isso, o respeito está acima de qualquer informação recebida para que possamos divulgar esse tipo de pauta no portal. Grato pela compreensão!