Professora fala da importância da língua portuguesa junto às novas tendências da era digital

Língua Portuguesa

Professora Eloisa Scalon comenta sobre a Educação, Redes Sociais e a importância da leitura no aperfeiçoamento da redação

A pauta que destacamos revela como nos dias de hoje o professor enfrenta a sala de aula neste cenário de inovações perante as mudanças na Educação, seja no ensino público ou privado, e as novas tecnologias.

Os professores, desde então, se defrontam com inúmeras ferramentas tecnológicas que os auxiliam nos trabalhos diários de docência, por isso é importante destacar o comportamento destes profissionais diante às novas tendências como as redes sociais: Facebook, Twitter, Instagran, Youtube, dentre outros, e principalmente o feedback que é obtido perante o aprendizado destes alunos na utilização destas mídias.

Nossa entrevista foi com a professora de Português, Eloisa Scalon (foto) que comentou a dificuldade dos alunos em adquirir o hábito da leitura, a utilização exagerada das redes sociais, a preparação do vestibular e outros assuntos. Confira a entrevista que ela concedeu ao nosso portal.

TOP UAI - COMO OBSERVA NOS DIAS ATUAIS NA EDUCAÇÃO OS ALUNOS NO APRENDIZADO DA LÍNGUA PORTUGUESA?

Professora Eloisa - Hoje, o Ensino passa por transformações constantes, é um processo normal de evolução que estamos com o advento da Internet. Lê-se mais, porém não é uma leitura profunda e reflexiva. O Ensino regular de Língua Portuguesa continua sendo essencial, e os estudantes sabem que sem ele, o mercado de trabalho o elimina e o ingresso à universidade fica impossível.

 É importante frisar que a Escola Pública, com salas de aulas lotadas e a desvalorização do professor desmotiva ainda mais esse aprendizado, já a Escola Particular possui salas menores e mais aulas de Língua Portuguesa – Literatura, Contação de histórias e Redação- em seu currículo.


TOP UAI - GOSTARIA DE SABER SE O CONTATO EXCESSIVO DO ALUNO COM AS REDES SOCIAIS, TELEVISÃO, INTERNET, INTERFERE OU NÃO, NO APRENDIZADO EM SALA DE AULA?

Professora Eloisa - Excessivo, sim, é claro. Sabemos que os pais precisam dosar o uso das mídias de crianças e adolescentes, pois é viciante. Em sala de aula, percebo que há sim, uma queda de conhecimento geral e uma, digamos, preguiça de ler e escrever textos mais longos. Não conseguem concentrar e a interpretação, obviamente fica prejudicada.


TOP UAI - EM RELAÇÃO ÀS AULAS DE REDAÇÃO BEM COMO AS PROVAS DE REDAÇÃO NOS VESTIBULARES, COMO ESTÃO LIDANDO COM O CONTEÚDO (OU O TEMA)?

Professora Eloisa - A Redação no ENEM, principalmente, tem um peso muito grande, vale 1000, enquanto as outras disciplinas juntas têm esse valor. O vestibulando sabe que, se não escrever bem, não será classificado. Portanto, a leitura de jornais e revistas é importante para que possa argumentar satisfatoriamente. Sem conhecimento de mundo e técnica de Redação, impossível articular um texto que satisfaça as exigências de uma boa universidade.


TOP UAI - CONTUDO, HÁ O EMPOBRECIMENTO DO VOCABULÁRIO, SE NÃO HÁ LEITURA OBRIGATÓRIA NA ESCOLA? COMO AS ESCOLAS ESTÃO OBRIGANDO O ALUNO A CUMPRIR ESTA LEITURA?

Professora Eloisa - Há leitura obrigatória na Escola, não lê quem não quer.

O professor, hoje, é multimodal, o mundo é midiático e muda a cada segundo. A Escola-Professor vive numa Sociedade Líquida ( Zygmunt Bauman) em que a sociedade e a família mudaram, as relações interpessoais mudaram, então é necessário se adaptar a essas mudanças. Empobrecemos, não só o vocabulário, empobrecemos economicamente, socialmente e infelizmente, espiritualmente.

É necessário saber ler o mundo e nos adaptarmos a ele.


TOP UAI- E PRA DISCUSSÃO EM SALA DE AULA ELES TRAZEM CONTEÚDO? NESTE CASO, AS REDES SOCIAIS, COLABORAM?

Professora Eloisa - Sim e não.

Não, quando há um excesso de publicações e discussões nas redes sociais desnecessárias e vazias. Cabe ao professor, filtrar o que é real e mostrar a argumentos que convençam.

Sim, porque sabemos tudo “Just in time”, o whatsapp, o facebook, o twitter, o instagram atualiza-nos instantaneamente. Tudo é rápido e fugaz. Repito, o professor aqui é peça importante para encaminhar as discussões e instigar o aluno a ler e saber mais.

É necessário que a família tenha um papel importante nessa formação, a leitura é um hábito que vem de criança. Se a família privilegia as mídias sociais a um bom livro, um bom filme, ou a uma boa música, infelizmente, nós professores estaremos sós. Observo criancinhas de 2 anos com tabletes nas mãos...

TOP UAI - PARA FINALIZAR, SUAS DICAS DE PORTUGUÊS NAS REDES ERAM BEM COMENTADAS E CURTIDAS, COMO TEVE A IDEIA DISSO E A REPERCUSSÃO CONTA UM POUCO... (E POR QUE PAROU?)

Professora Eloisa - Não parei! Apenas diminui as dicas. Pretendo abrir uma página de Consultoria em Língua Portuguesa, então resolvi postá-las para ver se há aceitação. Estou em processo de amadurecimento da ideia. Vejo nas redes sociais muitos erros, uso-os para elaborá-las.

O interessante é que tenho mais seguidores fiéis no Instagram que no Facebook, que é mais popular. O perfil dos seguidores é normalmente de quem está no mercado de trabalho e sabe da necessidade de falar e escrever melhor.

TOP UAI- FALA DA SUA FORMAÇÃO E ESCOLAS POR ONDE PASSOU.

Professora Eloisa - Sou formada em Letras pela Universidade de Ituverava e Pós-graduada em Matérias Pedagógicas em Batatais. Estatutária por 30 anos. Comecei em Contagem – MG por 2 anos, depois transferi-me para a E.E. Cel José Afonso de Almeida, onde trabalhei por 28 anos e me aposentei.

Prof. Elvani Pavanelli convidou-me para ministrar aulas de Redação no Colégio Rousseau. Não existiam aulas de Redações específicas há 17 anos, então, precisei estudar muito e ainda estudo para conseguir atender as exigências do mercado.

Trabalho também, no Instituto Madiba, IOS, na preparação de jovens para o vestibular e também para o mercado de trabalho.

Lecionar, para mim é um sacerdócio! Amo estar em sala de aula, adoro o contato com os jovens. Tenho o maior prazer quando vejo um ex-aluno realizando seu sonho e tem sucesso!

Falo que vou parar só quando Deus quiser!

TOP UAI- QUE ASSIM SEJA! MUITO OBRIGADO PELA ENTREVISTA.