Gestão do Mercado e Feiras será de responsabilidade dos permissionários

O secretário municipal do Agronegócio, Luiz Carlos Saad e sua equipe estiveram no plenário da Câmara Municipal nesta quinta-feira (23) discorrendo sobre os projetos e ações da Pasta em 2019. Atendendo convite do vereador Samuel Pereira, Saad falou sobre a missão da Sagri de planejar, apoiar, monitorar e executar projetos rurais de produção, logística, inovação e principalmente a busca pelo desenvolvimento do agronegócio de Uberaba e região.

O georreferenciamento tem sido uma arma poderosa para o planejamento das ações da Secretaria. Através desta ferramenta foi possível levantar em detalhes, por exemplo, toda a malha viária rural do Município, que tem 453.381 hectares, com aproximadamente 5.400km de estradas rurais.

A partir desse estudo, segundo Luiz Carlos Saad está sendo possível a revitalização e manutenção das estradas rurais, com a implantação das chamadas Estradas Ecológicas em todo o Município. “O sistema consiste em retirar a água pluvial do leito carroçável através da elevação do ‘grade`, fazendo com que o escoamento da água seja direcionado para as laterais das estradas onde serão coletadas por pequenas barragens denominadas bolsões”, explicou.

Para fazer seu planejamento, a Sagri dividiu o Município em quatro setores, delineando sua vegetação, relevo e solo. Também foram definidas as estradas principais de escoamento denominadas de URAs, que são 69 com o maior fluxo de veículos, totalizando cerca de 3.300km. “Com isso, está sendo possível fazer um planejamento estratégico para a manutenção, apontando os gargalos”, salientou.  Além disto estão sendo firmados TAC’s com as Usinas para melhorias nas estradas.

O secretário informou que o geoprocessamento permitiu levantar a densa malha hidrográfica de Uberaba, oferecendo à Secretaria uma nova dimensão dos cursos d’água e a possibilidade de aumento significativo do volume e qualidade das águas.

Mercadão e feiras. “Percebemos que não temos a expertise para administrar o Mercado Municipal”, confessou o secretário. Portanto, serão os permissionários, reunidos em Associação que passarão a administrar o local, em sistema de condomínio. O patrimônio, porém, permanece com a Prefeitura.

As feiras livres também serão administradas pelos próprios feirantes, reunidos em Associação. “A feira precisa ter conforto para o usuário e disciplina na gestão dos feirantes. Ela não pode ser maior do que um quarteirão e, como nas grandes cidades, ocupar local importante dentro do bairro, sendo ponto de encontro de moradores, mas não as vias principais dos bairros. Mas, qualquer mudança será amplamente discutida”, afirmou o secretário.

Parceria, aliás, é a palavra de ordem na Sagri. Uma delas, com a Certrim e a Emater, junto com os produtores das Agrovilas é o maior sucesso. A Feira do Produtor, que acontece no segundo sábado do mês na sede da Certrim, reúne mais de 20 expositores que vendem direto para o consumidor. Também foi realizada uma versão no Shopping Uberaba com grande receptividade. O frango caipira São Basílio é um dos mais novos expositores que incluem diversos produtos.

A Agricultura Familiar é, sem dúvida, um dos carros chefes da Sagri, com incentivo à produção das Agrovilas, onde os produtores recebem orientação e conhecimento. Além disso, a Patrulha Agrícola atende aos agricultores, sendo que paga pela hora do trator apenas aqueles que tem condição, sendo isentos aqueles da agricultura de assentamento.

Após a estruturação do Mini Abatedouro em São Basílio, que tem previsão de abater 300 aves por dia, também está sendo adaptada a indústria de queijos para credenciamento no S.I.M e S.I.S.M.E, para comercialização de queijos em Uberaba e nacionalmente.  

Ceasa. A unidade da  Central de Abastecimento de Minas Gerais - - Ceasa - em Uberaba deverá passar para a gestão do Município e ampliada sua área de atuação, dentro de um novo modelo, conforme Luiz Carlos, já que a demanda regional é muito grande e o local não comporta esse escoamento. “Trata-se de uma questão social e abastecimento no atacado é responsabilidade do Poder Público”, diz. Conforme ele, a intenção é que seja regionalizado e implantado um cinturão verde com os principais produtos necessários à região.

Em sua visita à Câmara o secretário também tratou de segurança rural, ITR, parcerias com entidades ligadas ao agronegócio, universidades, associações de produtores, demonstrando que a Sagri deve ser uma ponte que liga desde os grandes produtores até a agricultura familiar em seus mais diversos aspectos, dando condições de produzir, manter, crescer, comercializar e investir na sua propriedade.

Fonte: Jorn. Rubério Santos (Secom/PMU)