Escola municipal se classifica entre as 10 do Brasil em Olimpíada de Matemática

Olimpíada de Matemática

A Escola Municipal São Judas Tadeu, que atende à educação infantil, classificou-se entre as 10 melhores na Olimpíada Matific de Matemática, competindo com três mil escolas no País e mais de 800 mil alunos.

Cento e vinte e dois alunos do Pré II da unidade participaram da competição de 2019, nas últimas semanas de agosto. Entre os dias 20 e 26, os alunos participaram do período de aquecimento na unidade escolar, sem premiação. Entre 27 e 29, a competição premiou quatro categorias, em nível nacional. Na categoria Melhores Alunos, o 4º lugar ficou para Alice Castro e Daniella Hercos em 6º; como melhor turma, em 8º lugar, professora Lidiane Nunes dos Anjos; como melhor escola, em 9º lugar, a Escola Municipal São Judas Tadeu.

A Matific é uma plataforma voltada para o ensino de matemática para crianças até o 6º ano do ensino fundamental, que aprendem por meio de jogos e situações do dia a dia.

O diretor da escola, Wagno da Silva Santos, explica que a Matific abre horizontes para alunos da educação infantil ao ensino fundamental (especificamente até o 6º ano), com o fomento de habilidades como o raciocínio lógico. Além da capacitação, foram três dias de 'Licença Matific' para que elas pudessem participar e competir.

Wagno fala sobre a experiência de participar da atividade. "É uma felicidade, um privilégio ter a nossa rede de ensino neste patamar e levar o nosso nome, o da nossa escola, apresentar as nossas atividades e ver Uberaba entre as dez melhores escolas do País na Matific", declara o diretor, pontuando a visibilidade que a escola e o Município passam a ter, além de facilitar a aprendizagem dos alunos.

A atividade consiste em estória acerca de alguns personagens em que com  narrativa para que as crianças cumpram desafios, possam seguir um percurso e liberar esses monstros. Existe toda uma linguagem lúdica por trás dessas olimpíadas exatamente para prender a atenção das crianças e, para que elas consigam liberar os monstros, é necessário resolver as situações-problemas. "As nossas crianças trabalharam, nesse momento, com foco nessas habilidades fazendo essa integração entre escola e família onde, na escola elas contavam com a participação dos professores e em casa com os pais", pontua, ressaltando a importância dessa interação.

Fonte: Jorn. Ana Rizieri (Secom/PMU)