Mocidade Independente retrata a raça Zebu na Sapucaí

ABCZ

A Mocidade Independente de Padre Miguel, atual campeã do Carnaval do Rio de Janeiro, vai para a Sapucaí com enredo que trata das relações culturais e econômicas entre Brasil e Índia

   A escola de samba Mocidade Independente de Padre Miguel pretende fazer um desfile animado em busca do bicampeonato no Carnaval carioca 2018, apostando no samba-enredo: "Namastê... A estrela que habita em mim saúda a que existe em você".  O enredo sobre a cultura indiana, claro, vai abrir alas para o Zebu que, importado da Índia, fez e faz história no Brasil, com grande importância para o desenvolvimento da economia do país.

   "Sempre procuramos mostrar em nossos trabalhos um sonho com os pés no chão, sambando ao vivo e a cores. Felizes por acreditar num país ainda melhor e com a pecuária ainda mais forte para aumentar o nosso PIB e a cultura ser mais valorizada", destaca Rodrigo Pacheco, Vice-Presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel.

   O tema é um desafio à criatividade do carnavalesco Alexandre Louzada. O setor "A bênção dos céus num mar de leite" será a quinta ala da escola a desfilar. A agremiação promete levar para a avenida um carro alegórico com uma enorme Kamadhenu, a vaca sagrada do deus Indra, na Mitologia Hindu, apresentada na versão metade mulher (tronco e cabeça), asas e corpo de vaca. Nandi, o touro do deus Shiva, também estará junto. Cabeças de cada uma das raças zebuínas estarão no carro, uma maneira especial de celebrar os 80 anos de delegação do Serviço de Registro Genealógico das Raças Zebuínas. O setor também fará referências ao folclore brasileiro com os touros Caprichoso e Garantido. Figuras como a do grande escritor Guimarães Rosa e do artista Mestre Vitalino serão referenciadas por terem usado o Zebu em suas produções.

   Os livros escritos pelo zootecnista e artista multimídia José Otávio Lemos serviram como base de pesquisa técnica para o enredo. "Sinto-me muito honrado! A Mocidade acreditou naquilo que eu propus e usou muito do que escrevi até hoje sobre o Zebu para fazer o enredo. Todas as vezes que vou ao Rio de Janeiro e participo das coisas que estão acontecendo em volta disso, me sinto no céu", revela José Otávio, que integra a comissão que comandará o desfile.

   Parte da pesquisa foi feita durante a 83ª ExpoZebu, quando o historiador Marcos Roza esteve em Uberaba para conhecer um pouco mais sobre a cadeia produtiva das raças zebuínas. "Tivemos como conhecimento as raças e sua contribuição para a cadeia produtiva da pecuária brasileira, através dos pesquisadores especializados da ABCZ. Isso nos direcionou ao desenvolvimento do tema, entendendo a importância da Índia nesse processo histórico. Amparado por todo este conteúdo, os setores que retratam o gado Zebu representarão a cultura zebuína. Distribuídas em seis alas e uma grande alegoria, terão como ponto alto do cenário as raças zebuínas", ressalta.

   O samba enredo foi escolhido no dia 14 de outubro de 2017, em grande festa realizada na quadra da escola. A composição de Altay Veloso, Paulo César Feital, Zé Glória, J. Giovani, Denilson do Rozário, Carlinhos da Chácara, Alex Saraiça e Léo Peres foi à ganhadora. A escola desfila na Marquês de Sapucaí no dia 11 de fevereiro.