PC prende estelionatários que vendiam espaço publicitário no estádio Uberabão

estelionatário

A Polícia Civil em Uberaba, através da Inspetoria de Investigadores, conduziu, em flagrante delito, quatro pessoas que estariam se passando pelo Presidente da Fundação de Esporte e Lazer (FUNEL) Luís Medina. O preso estaria vendendo espaço publicitário no Estádio Municipal Engenheiro João Guido, mais conhecido como Uberabão.

Após receber várias informações sobre o suposto estelionato e que uma pessoa estaria vendendo espaço publicitário, usando como pressuposto o nome da FUNEL e de seu presidente, os investigadores de polícia realizaram diversas diligências até conseguir, identificar e conduzir quatro pessoas.

COMO O GOLPE ERA FEITO

O autor ligava em empresas da cidade, se passando pelo próprio presidente da FUNEL. Ao tentar aplicar o golpe numa empresa nesta terça-feira (5), o proprietário entrou em contato, pessoalmente, com o presidente Medina e o alertou. Como a FUNEL já estava em tratativas com a Polícia Civil, ele a acionou.

A INVESTIGAÇÃO E PRISÃO

De posse de tais informações, uma equipe de da PC deslocou até a empresa. No local, o proprietário da empresa disse que uma mulher, G.C.S.R., 42 anos, de alcunha “Gigi”, iria recolher uma quantia em dinheiro ao meio-dia. Os Investigadores esperaram a chegada da mulher e no momento que a mesma recolheu o dinheiro foi surpreendida pelos policiais ali presentes.

Em continuidade, a mulher informou que iria entregar o dinheiro para P.F.O., 32 anos. Ele foi preso e conduzido. Já P.F.O., recolhia o dinheiro recebido e repassava para o taxista R.O.J., 44 anos, e este levava parte do dinheiro até a cidade de Conceição das Alagoas. O taxista, que tem ponto na cidade vizinha, por sua vez levava a quantia até R.S, 38 anos.

O mentor do golpe seria R.S., morador de Conceição das Alagoas. Ele fazia contato via telefone com as vítimas e auferia a maior parte do dinheiro arrecadado. Uma equipe da PCMG deslocou até a cidade e prendeu o estelionatário. Ele confessou o crime.

Até o presente momento, já foram identificadas dez vítimas dos suspeitos. Todas as empresas são de Uberaba.

Os quatro envolvidos foram conduzidos em flagrante para a Delegacia de Plantão. O delegado plantonista ratificou a prisão em flagrante em relação ao R.S., que é o principal suspeito dos golpes. Ele foi encaminhado para a Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira. Os demais tiveram suas declarações colhidas e vão responder a inquérito policial em liberdade.

* Redação/Polícia Civil