Zema demonstra abertura, nova visão de desenvolvimento e avaliza projetos de Uberaba

Zema

Quem viu o prefeito Paulo Piau no fim desta tarde ao retornar de Belo Horizonte, se surpreendeu. Estava o otimismo e entusiasmo em pessoa, semblante bem diferente do que  vinha carregando a cada ida e vinda da capital nos últimos meses.

Nesta quarta-feira, foi sua primeira reunião com o governador Romeu Zema já empossado. Na pauta, assuntos que representam R$ 3 bilhões de investimentos para a cidade; relativos a projetos que envolvem inclusive, capital estrangeiro, e que há cerca de um ano e meio vem sendo construídos e esbarrando em 'muro'.

Piau evita dar detalhes, mas deixa escapar serem das áreas de logística e alimento. Iniciativas que o prefeito aposta que vão caminhar a passos mais largos a partir de agora com o surgimento da 'ponte'. E ele usa metáfora para demonstrar o que diz. Afirma que os projetos que se atracavam no 'muro', agora vislumbram uma 'ponte'. Tudo isto para sinalizar a diferença entre o tratamento e visão entre as administrações do Estado: a última e a atual.

Conforme Paulo Piau, tais projetos, pelas suas magnitudes, necessitam do aval do Estado, quer por questões de equalizações fiscais, de legislação, institucionais, operacionais pela agilidade e desburocratização e até conceituais pela visão de desenvolvimento e geração de renda.

Em duas palavras, Piau resumiu sua avaliação sobre o encontro como "extremamente positiva" pontuando aspectos como inexistência de cor partidária, vontade de transformar e de construir com foco no desenvolvimento.

"Zema disse que não quer apenas gerar emprego, mas que quer gerar empresas. Isto é um demonstrativo claro de como ele enxerga o quadro econômico e demonstra toda sua visão e experiência empreendedora e o desejo para a construção de um novo modelo de governo para Minas Gerais que passa, especialmente, pelo setor produtivo, que é o início para qualquer transformação que se busca para cidades, estados e nações", reconheceu o prefeito.

Para o prefeito de Uberaba, 'há tudo para dar certo', apostando inclusive em iniciativas macro que Uberaba e a região tanto aguardam e que são necessárias para uma nova fase histórica no desenvolvimento do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, que é o gasoduto e a produção de ureia/amônia. Hoje a questão é tratada mais diretamente pela Fundação Getúlio Vargas que já efetuou estudos e aposta na viabilidade destas plataformas. Ontem, representantes da FGV também participaram com Piau e o secretário de Desenvolvimento Econômico, José Renato Gomes, de reunião com o governador Zema, da qual também esteve presente o presidente da Fiemg, Flávio Roscoe e empresários. Todos deixaram o local certos de que tais ações estruturantes tem o aval do novo governador.

"Fomos buscar o aval do governador e ele topou no ato. Ele quer ajudar a atrair investimentos, quer o Estado competitivo. Quer gerar empresas e, como resultado, empregos para a população", encerrou Piau. 

SECOM/PMU