Uniube e Hemocentro coletam cerca de 50 bolsas de sangue

banco de sangue

A unidade móvel do Hemocentro esteve na Universidade de Uberaba (Uniube), esta semana, para realizar a coleta de bolsas de sangue. A iniciativa é uma parceria entre o projeto de extensão, Amizade Compatível, da Uniube e o Hemocentro Regional. Ao todo, foram coletadas 47 bolsas. O objetivo é conscientizar colaboradores e universitários sobre a importância da doação voluntária de sangue.

Para o professor do curso de Medicina da Uniube, Aldo Matos, a doação representa não só um ato de solidariedade, mas também de cidadania. "É entender o outro por igual e sentir as necessidades dele. É conhecer todo o processo que envolve a captação de doador até chegar ao médico para fazer a transfusão. Os alunos que estão envolvidos acabam percebendo isso e a maioria fica no projeto por um longo tempo. E a Universidade precisa desenvolver ações como esta entre todos os alunos", afirma.

O estudante do 1º período do curso de Medicina, Caio Vinícius Vieira Alves, doou sangue pela segunda vez e pretende seguir com essa atitude de solidariedade. "Tirar uma tarde para doar sangue é um ato muito simples, mas para alguém que precisa dessa doação, é uma questão de vida ou morte. Vai salvar a vida de quem depende disso. Sempre que tiver a oportunidade quero doar", diz.

A aluna do 4º período de Medicina, Claire Rodrigues da Cunha Heinerich, pretende ser Oncologista Pediátrica. Segundo ela, essa é uma especialidade que depende muito de estoque de sangue, por isso decidiu doar. "A doação de sangue salva vidas. Têm muitas doenças que necessitam de sangue para o paciente sobreviver. Não existe nada que substitui o sangue. Então, é preciso ter doadores. E a minha doação pode salvar até quatro vidas. São 30 minutos do seu dia que você vai estar fazendo a diferença na vida de outras pessoas", comenta.

O "Amizade Compatível - Uma doação para a vida" é um projeto de extensão da Universidade de Uberaba que tem como objetivo instruir, multiplicar e divulgar conhecimentos sobre o cadastro e a doação de medula óssea e de sangue. "Desde 2015, quando foi implantado, aumentamos em 33% as doações de sangue pelos universitários. O enfoque é no aluno, pois fizemos uma pesquisa e constatamos que a grande maioria não tem conhecimento sobre estes temas e querem saber mais", finaliza a coordenadora do projeto e da Extensão da Uniube, professora. Maria Theresa Cerávolo Laguna.