Uso de medicamentos sem indicação médica pode agravar quadro do novo Coronavírus

saúde

A pandemia de novo Coronavírus (Covid-19) traz mais uma preocupação aos especialistas, o risco da automedicação.  A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que pessoas com sintomas não usem remédios sem a orientação médica.

"A automedicação pode causar muitos danos, como uma reação alérgica grave ou até mesmo uma piora no quadro geral de saúde", alerta o infectologista e especialista em Alergia e Imunologia, Frederico Zago.

Depois de ser anunciada como medicação promissora e apresentar bons resultados no tratamento de pacientes com o novo Coronavírus, a Hidroxicloroquina sumiu das prateleiras das farmácias. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) alerta que não há estudos conclusivos sobre o uso do medicamento para o tratamento do Coronavírus.

"Os especialistas estão na linha de frente fazendo inúmeros testes com medicamentos para encontrar uma maneira rápida de solucionar a infecção pelo vírus, mas é importante que a comunidade se conscientize que este remédio é para tratamento contra malária e doenças autoimunes, como artrite e lúpus, além de problemas renais. A falta dele pode prejudicar quem realmente precisa", observa o especialista.

A real indicação da Hidroxicloroquina seria em adição a Azitromicina em pacientes com pneumonia viral pelo Coronavírus. Estás drogas não são profilaxia.

Além de não ser indicado sem prescrição médica, o fármaco pode apresentar diversos efeitos colaterais, como perda de visão, anemia, distúrbios auditivos, falta de equilíbrio, diarreia, vômito, psicose, irritabilidade e a redução da imunidade.

O especialista lembra que sobre o uso de medicamentos à base de Ibuprofeno no tratamento contra o Covid-19, a OMS voltou atrás. "Se a pessoa tiver os sintomas de gripe, deve optar por tomar antitérmico e analgésico sem a substância. Como ainda não há nenhum estudo científico oficial, evitar o Ibuprofeno é uma medida preventiva", finaliza Frederico.