Cohagra realoca família em situação de vulnerabilidade em caráter emergencial

Cohagra

Companhia Habitacional do Vale do Rio Grande (Cohagra) agiu nesta quinta-feira (29), em caráter emergencial, para que uma família em situação de risco fosse transferida para uma casa do programa "Minha Casa, Minha Vida". A entrega das chaves da casa e os documentos necessários para ligar a energia e a água foram feitas no gabinete do prefeito de Uberaba, Paulo Piau. Segundo o presidente da Companhia, Marcos Jammal, a situação foi identificada pelo trabalho conjunto da Defesa Civil e Cohagra de monitoramento das casas identificadas como em situação de risco em Uberaba. 

A partir da constatação do caso da dona Maria Francisca Nascimento, a Defesa Civil foi imediatamente acionada para fazer a interdição e demolição da casa, localizada na Rua das Violetas, à beira de um barranco. "Com o trabalho de retomada das casas realizado pela Cohagra, em que entra a presença do Ministério Público Federal e da Polícia Federal, dando todo o respaldo, a gente consegue fazer justiça mais uma vez. Retomamos uma casa do Pacaembu e entregamos para uma senhora que estava na Rua das Violetas, em situação de extrema vulnerabilidade, com seu filho, vitima de violência doméstica também", explica Jammal. 

O prefeito destacou o trabalho da Cohagra na fiscalização e chamou a atenção para a necessidade da Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil fazerem a sua parte junto ao Ministério Público e o Judiciário para que as casas sejam ocupadas por pessoas que atendem os critérios estabelecidos. "Claro que a grande maioria está ocupada por pessoas legitimamente com os critérios estabelecidos, mas tem quem não precisa, aluga a casa, vende, o que é proibido. A gente está fazendo a nossa parte, mas precisa do trabalho de todos para que seja feita a justiça social, para que pessoas como a dona Maria Franscisca e o seu filho não fiquem  sem moradia ou com uma moradia sem dignidade", enfatizou Piau. 

Critérios – Sobre atuações emergenciais por questões de vulnerabilidade, Marcos Jammal esclarece que foi efetivada uma lista de prioridades, junto ao Ministério Público, para as casas que são retomadas. Dentro dessa lista, todas as famílias que se encaixavam em oito e nove critérios já foram atendidas. Agora a lista trabalhada envolve famílias que se encaixam em menos critérios. No caso das famílias atendidas nesta sexta-feira, a atuação foi excepcional para obter prioridade na fila, e por isso a Cohagra buscou autorização do Ministério Público Federal.

 Secom/PMU