FCU leva projeto 100% Afro para movimentar o Domingo na Concha

FCU

Em celebração à Consciência Negra, o projeto fotográfico terá homenagem e participação do público na Concha

O Domingo na Concha deste domingo (19) terá apresentação especial com a cantora uberabense Juliana Gomes, além de ação do projeto 100% Afro, da fotógrafa Ruth Gobbo. O projeto acontece das 11h30 às 14h, e é uma realização da Prefeitura de Uberaba por meio da Fundação Cultural.

Neste domingo o público poderá conferir mais uma ação do calendário da Consciência Negra, com a exposição de fotos "100% Afro", da fotógrafa Ruth Gobbo. Além da exposição, as pessoas que foram fotografadas serão homenageadas e haverá uma ação para quem tiver interesse de ser fotografado e fazer parte do projeto.

A música será comandada por Juliana Gomes, que foi um dos destaques na primeira edição do programa The Voice Brasil. Ela traz para o Domingo na Concha um show que promete animar o público, com o melhor do Pop Rock nacional e internacional, e se apresenta na companhia dos músicos Rodrigo Augusto na bateria e Felipe Colenghi no baixo.

A cantora uberabense já abriu shows para grandes nomes da música brasileira, como a dupla Bruno e Marrone, e também já dividiu o palco com ícones da música como Shania Twain, Ivete Sangalo, Claudia Leitte, Guilherme e Santiago e Tuca Fernandes. Seu primeiro CD da carreira profissional, "O Som Pelo Ar", foi sucesso de downloads nas redes sociais, onde somou mais de 25 mil seguidores.

Já o projeto 100% Afro, que movimentará o Domingo na Concha em celebração à Consciência Negra, surgiu através do objetivo de promover o acesso à cultura milenar de matriz africana através da fotografia e, também, promover o respeito difundindo manifestações culturais de origens étnicas e regionais das oito tribos que vivem ao longo do Rio Omo, Etiópia.

100% Afro é um projeto da Fotógrafa Ruth Gobbo desenvolvido por meio da Fundação Cultural de Uberaba, que possibilita o intercâmbio entre Brasil e África no resgate cultural em releitura as tribos que habitam o Vale do Omo. Há séculos o baixo Rio Omo, no Sudeste da Etiópia, é lar para oito tribos diferentes, cuja população é de cerca de 200 mil pessoas.

A primeira parte do projeto foi lançada no dia 13 de Maio de 2017 e revelou cultura, retratos e experimentações. Para que a realização do projeto fosse possível, o desenvolvimento inicial contou com estudo aplicado e técnico das artistas Marilese Pacheco e Rosalina Cardoso que desenvolveram a tinta especial e natural usada nas pinturas corporais dos modelos fotografados, em releitura aos índios do Vale do Omo que se pintam e adornam com a natureza. O resultado da primeira etapa criou-se histórias com diferentes linguagens que despertam a curiosidade e imaginação no contexto afro.

O projeto conta com um banco de imagens online, com fotos produzidas até o momento, lançadas em um perfil do Instagram @100afro.ruthgobbo, ferramenta onde os interessados em participar também poderão entrar em contato pela artista.

Fotógrafa e jornalista, Ruth Gobbo é mineira natural de Sacramento. Desde cedo esteve ligada às áreas artísticas – dança, teatro, pintura e música, mas foi na fotografia que encontrou sua maior forma de expressão e onde imprimiu a fusão das vivências artísticas. O fascínio pela cultura afro a acompanha desde sempre. Seu acervo reúne imagens da América do Sul/ Norte e continente Africano, com destaque para o líder Nelson Mandela, com respectivas publicações, incluindo projeto Brazillian Eyes, EUA. Atualmente radicada em Uberaba desenvolve sua arte através da Fundação Cultural com pesquisas em cultura popular e matriz africana.

O projeto Domingo na Concha acontece aos domingos na Concha Acústica, e a programação semanal pode ser acompanhada por meio da página oficial da Fundação Cultural de Uberaba no Facebook: facebook.com/culturauberaba.

* Comunicação PMU/FCU