Análises garantem a qualidade da água distribuída em Uberlândia

DMAE

Amostras coletadas por profissionais do Dmae são verificadas diariamente; cerca de 340 testes são realizados mensalmente

A água tratada e distribuída pelo Departamento Municipal de Água e Esgoto (Dmae)em Uberlândia passa por criteriosas análises antes de chegar à casa dos cidadãos. Diariamente são coletadas amostras em 80 Pontos de Controle de Qualidade (PCQs) espalhados em bairros e também nos distritos da cidade. Tudo para garantir que a água distribuída no município seja cada vez melhor e permaneça livre de impurezas.

Análise da distribuição

Para controlar a qualidade do que é fornecido, o Dmae realiza análises durante os processos de tratamento e distribuição. A de distribuição funciona assim: a água recolhida nos PCQs é encaminhada para o Laboratório de Qualidade da Água da autarquia. Ali são feitos estudos para atestam a qualidade do produto para consumo, mesmo que ele percorra as tubulações. Cerca de 340 coletas são feitas ao mês pelo sistema PCQ. “A captação de amostras é feita diariamente em pontos diferentes, mas o objetivo é que o material recolhido dê um panorama de toda a rede de distribuição, em todas as áreas da cidade e dos distritos”, conta Farley Fabiano Ribeiro Silva, supervisor de produção e reservação do Dmae.

O especialista explica oito itens são verificados durante a análise da distribuição, como turbidez, cor, quantidade de cloro, flúor e PH. São parâmetros preconizados pelo Ministério da Saúde e que garantem que o consumidor está receba água em condições de consumo. “O Dmae segue rigorosamente estes requisitos e faz uma quantidade de coleta a mais do que exigido na legislação. Graças a esse trabalho que temos garantido a excelência do nosso produto e colocado Uberlândia como referência no tratamento de água”, exemplifica Carlos Henrique Lamounier, diretor técnico do Dmae.

Análise do tratamento

Só que o cuidado com a qualidade da água não começa aí. Os testes iniciam no processo de captação nos mananciais e se estende para as estações de tratamento de água (ETAs Bom Jardim e Sucupira). Essa é a chamada análise de tratamento. Lamounier esclarece que  nas estações são realizados, de hora em hora, estudos para verificar se os produtos usados estão nas quantidades corretas e se ocorreram as reações esperadas.

O processo funciona desta forma: assim que água bruta chega na ETA, é feita a chamada ‘coagulação’ - quando há a adição de policloreto de alumínio e hidróxio de cálcio. Depois ocorre a ‘floculação’, onde são formados flocos que aglomeram a sujeira trazida dos mananciais. A próxima etapa é a ‘decantação’, quando ocorre a deposição do material coagulado. O último passo é a filtragem. O curioso é que todo este processo é somente para a ‘limpeza’ da água bruta. Na sequência, técnicos do Dmae começam o tratamento com a adição de flúor, cloração (para desinfecção) e ajuste de PH. finalmente segue para os reservatórios para a distribuição.

Fonte: Prefeitura de Uberlândia