Professora analisa tema da redação do ENEM 2019

Enem

A produção audiovisual brasileira e a popularização de seu acesso foram o aguardado tema da redação do ENEM 2019, cuja prova aconteceu no último domingo (3).

Considerado como surpresa, o tema, chamado oficialmente de “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, foi considerado fácil e com múltiplas possibilidades de abordagem.

Para elaborar a dissertação os estudantes tiveram os seguintes materiais de apoio: um trecho do artigo “O que é cinema”, de Jean-Claude Bernardet; um trecho do texto “O filme e a representação do real”, de C.F.Gutfreind; um infográfico do periódico “Meio e a Mensagem” sobre o percentual de brasileiros que frequentam as salas de cinema e um trecho do texto “Cinema perto de você”, da Ancine.

O tema foi elogiado nas redes sociais, mas houve quem achou difícil justamente pela multiplicidade de questões a serem abordadas.

Para comentar a repercussão sobre esse tema, a reportagem do TOPUAI convidou a professora de Língua Portuguesa e Redação, Eloisa Scalon, que também reafirmou que o ENEM 2019 surpreendeu professores e alunos. “Alguns alunos apostaram nas áreas de tecnologia, saúde, educação e todos foram surpreendidos com a área cultural”, afirmou.

“A democratização do acesso ao cinema no Brasil “ não é assunto comum nas mídias, mas o aluno que está preparado com a estrutura textual que o Enem exige, com certeza fez uma boa redação. Ela explicou: “Vejamos: é necessário que o vestibulando pense - o que é, por que e como democratizar. A partir daí, fazer uma introdução afirmando essa necessidade, depois, escrever no desenvolvimento argumentos respondendo o porquê da questão, por exemplo: não temos políticas públicas, não há acesso a deficientes, o deslocamento aos cinemas (que normalmente são em shopping’s ou cidades vizinhas) e o preço do ingresso que não é acessível. Finalmente, fazer na conclusão uma possível intervenção com pelo menos dois órgãos apropriados apoiando o que fazer e como fazer, para que haja a democratização - o Ministério da Cidadania”.

Além disso, é importante que se use dois repertórios socioculturais que são filmes, séries, livros, citações, documentários relacionados com a temática.

“Não é nada fácil. Realmente, a redação do Enem é um caldeirão de cultura, por isso vale 1.000 pontos”, finalizou.